Renato Tavolaro

Arquiteto formado pelo Mackenzie/SP, Renato Tavolaro possui vasta experiência em projetos de arquitetura para novas residências, reformas, restauro de prédios antigos ou tombados pelo Patrimônio Histórico. Além dos projetos, em alguns casos, Renato se estende aos interiores, projetando também o mobiliário e a decoração. Vocacional teve o prazer de entrevistá-lo. Não perca!


 

VOC: Olá, Renato, é um prazer e uma honra tê-lo conosco aqui no site Vocacional.

RT: O prazer é meu.

VOC: Pra começar, conte pra nós o que é que você faz hoje e como.

RT: Tento fazer Arquitetura, dependendo do trabalho que me é solicitado. Por exemplo: projetar uma casa do zero; reformar e transformar uma construção para ter outra função como uma antiga cocheira em residência; reformar um apartamento, restaurar e reformar um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico, e etc. Além de projetar, fiscalizo as obras dos meus projetos. E na maioria dos projetos estendo a Arquitetura à decoração, inclusive projetando os móveis mais adequados aos ambientes.

VOC:  E você sempre trabalhou com isso ou chegou nesse estágio com o tempo e a experiência?

RT: Sim, sempre. Já no primeiro ano da faculdade comecei a trabalhar em escritórios de Arquitetura, como desenhista.

VOC: E qual é a sua formação?

RT: Arquiteto, formado pela Faculdade de Arquitetura do Mackenzie.

VOC: E quando você era jovem e estava em fase de decisão de curso, faculdade ou carreira, teve alguma dúvida por outro caminho? Se teve, qual foi e o que o fez optar pela Arquitetura?

RT: Desde pequeno já sabia que iria ser arquiteto. Talvez por ter muita facilidade em visualizar e desenhar espaços.

VOC: Renato, então conte pra gente como foram seus primeiros anos de atividade na área?  Em quais profissionais, artistas ou modelos você se inspirava?

RT: Tive a sorte de iniciar a carreira um ano antes o término da faculdade, quando um cliente me solicitou o projeto de uma reforma. Trabalhar em escritórios de Arquitetura desde o primeiro ano da faculdade fez toda a diferença, pois já tinha experiência em projetos. E a experiência em acompanhar a construção começou nesse momento. Através do resultado desse trabalho, começaram a vir outros e, assim por diante, sem parar até hoje. Sobre alguém que me inspirou no inicio da carreira? Frank Lloyd Wright sem dúvida.

VOC: Voce pode dizer que teve um grande desafio, projeto ou experiência que tenha sido muito marcante na sua carreira?

RT: Talvez o primeiro desafio tenha sido no inicio da carreira, quando tive que projetar uma grande reforma de restauração de um casarão colonial no bairro histórico de Paraty para a implantação de uma pousada de 25 apartamentos.

VOC: Há algum outro evento marcante, projeto ou mudança que você gostaria de comentar?

RT: Um caso interessante: Quando eu, ainda no terceiro ano da faculdade, trabalhava num escritório de Arquitetura, tinha como colega de trabalho uma moça que acabava de se formar. Um dia ela caiu em prantos e disse: – Meu pai se esforçou para pagar meus estudos para que eu não precisasse trabalhar durante a faculdade, e agora que me formei, meu tio me pediu para projetar uma casa e eu nem sei como começar!

Por isso aconselho a todo estudante de Arquitetura, que é muito importante estagiar e fazer o link entre a teoria e a prática.

VOC: Conte pros nossos internautas como é o seu cotidiano? Você trabalha só ou tem uma equipe?

RT: Sempre trabalhei com bons colaboradores, formando uma boa equipe para cada projeto.

VOC: Tem alguma outra área da Arquitetura em que você gostaria de atuar? Ou até mesmo outra área de atividade?

RT: O que me fascina são os novos materiais e novas tecnologias para poder inovar.

VOC: Como é o seu lazer?

RT: Misturo muito meu lazer com meu trabalho. Não só pelo prazer que o meu trabalho me dá, mas porque estou sempre viajando a trabalho, visitando as obras dos meus projetos.

VOC: Quais são seus projetos futuros?

RT: Continuar arquitetando até o final da vida.

VOC: Tem alguma dica ou conselho que possa dar pra alguém que está escolhendo, estudando ou ingressando nessa área, ou tudo isso junto?

RT: Comece a trabalhar na área logo que possível, arrume tempo para isso. Eu comecei estagiando em escritório de Arquitetura, logo que entrei na faculdade, sem ser remunerado por algum tempo, para aprender desenho técnico. A prática deve andar ao lado da teoria. Outro conselho: Se a arquitetura for uma grande paixão, “entre de cabeça”, não vai se arrepender!

VOC: Renato, querido, muito obrigada, por dividir conosco seu tempo, sua simpatia e sua experiência.

Entrevistas